Igreja Congregacional completa 81 anos de evangelização em patos

Escrito por .::Boas Novas PB::. em .Postado em Igreja Congregacional, Notícias

A Igreja Congregacional de Patos, primeira denominação evangélica de nossa cidade, está completando nesta segunda-feira, 02/12, 81 anos de existência na cidade de Patos.

foto: patosemrevista

A data faz referência a sua inauguração no ano de 1932, havendo os trabalhos sido iniciados por volta de 1928 e 1929, por um pequeno grupo missionário liderado pelo pastor inglês Harry Briault, ao lado de sua esposa Frieda. que realizava os primeiros cultos na praça Edvaldo Motta, que até por volta dos anos 60, era chamada popularmente de Praça da Babilônia, em referência aos jardins suspensos da Babilônia, descritos na história secular.

Segundo publicação do jornalista Damião Lucena na primeira edição do Patos em Revista, a família Briaults chegou ao Brasil no oitavo ano da década de 20 e viajou de trem até Campina Grande, onde adquiriram um veículo ford, condução que os traria à cidade de Patos.

Pastor José Lucena, atual dirigente

pastor José Lucena. Atual dirigente

No final dos anos 20 do século passado, o sertão paraibano vivenciava uma grande seca e ao que se consta nos arquivos da Igreja Congregacional, que o pastor Briault conseguiu junto a irmãos ingleses responsáveis pela missão, ajuda para a população da época, chegando a distribuir donativos em Patos e Região.

O trabalho permaneceu com as ofertas enviadas da Inglaterra, que em pouco tempo foram direcionadas para a construção do templo em 1932, que até hoje está em seu endereço original a Rua Pedro Firmino, centro de Patos.

Pr. Azenildo Freire e sua esposa Solange Freire. Penúltimo dirigente, hoje na Igreja Congregacional Vale da Benção-PE.

A construção recebeu ajuda também dos novos convertidos, que pouco a pouco ajudaram o trabalho a crescer, a partir de sua inauguração em 1932, até a primeira etapa do tr5abalho, marcada pela transição do pastor Briault para Cláudio Santiago, que assumiu o trabalho a partir de 1936, sendo o primeiro pastor brasileiro na cidade de Patos.

Ao longo dos anos, a Igreja Congregacional foi se tornando uma espécie de abastecedora de celeiros, onde muitas pessoas que eram alcançadas pelo trabalho missionário, passavam e trilhar caminho em outras denominações da cidade, fato que foi se registrando há várias décadas passadas.

Ao longo se sua trajetória, a Igreja Congregacional teve 19 pastores, cabendo ao pastor José Lucena da Silva, a frente do trabalho desde maio de 2.000, sucedendo o pastor Azenildo Freire, que hoje se encontra em São Caitano da Raposa-PE, pastoreando a Igreja Congregacional Vale da Benção.

Estre os 18 nomes, três deles estiveram a frente do trabalho mais de uma vez, casos de Jonathas Ferreira; Inácio Ribeiro e José Queiroz de Mendonça.

Em ordem cronológica, a lista oficial de pastores que estiveram a frente do ministério congregacional em patos é a seguinte:

1- Harry Briault: 1932-1936;

2- 2-Cláudio Santiago: 1936-1938;

3- Paulo Davidson: 1938-1939;

4- Josué de Oliveira: 1939-1945;

5- José Emídio: 1945-1946;

6- Otacílio Gomes: 1946-1947;

7- J.C Ximenes; 1947-1949;

8- Jonatas Ferreira: 1949-1952; 1969 a 1972;

9- Francisco Souto Maior: 1952-1954;

10- Inácio Ribeiro: 1954-1959; 1960-1961; 1962-1964;

11- Davi Nunes: 1961-1962;

12- João Queiroz de Mendonça1964-1968; 1973-1974;

13- João B. de Lucena; 1968-1969;

14- Antônio Silva: 1972-1973;

15- Arnóbio Bernardino: 1975-1985;

16- Eduardo P. Gomes: 1986-1990;

17- Sandro Moreti: 1990-1997;

18- Azenildo Freire: 1998-2000;

19- José Lucena: 2000-2013…

Hoje, a igreja conta com mais de 200 membros e algumas congregações em Patos e região, recebendo orientação espiritual do pastor José Lucena e do ministério de Patos.

A igreja tem desenvolvido algumas atividades sociais e trabalhado também na evangelização de pessoas em todo o sertão, além de realizado trabalhos em parcerias com outras igrejas evangélicas da cidade.

Em 2012, durante as comemorações dos seus 80 anos, a igreja realizou uma grande festa na Rua Floriano Peixoto, ao lado do templo central, onde recebeu a cantora Alice Maciel e sua banda.