FIM DO MUNDO: MENTIRAS E VERDADES

Escrito por .::Boas Novas PB::. em .Postado em Colunistas, Genival Jr.

Muita gente tremeu nas bases depois que foi feito o sensacionalismo em torno do possível fim do mundo em 21 de dezembro, data prevista no calendário Maia.

No entanto, o mundo apenas está terminando mesmo para aqueles que continuam a partir para a eternidade sem uma decisão pessoal de crer em Jesus como único e suficiente Salvador de Suas Vidas, pois para este sim, as coisas não estão boas.

Em Mateus 24.14, Jesus afirmou: “E este evangelho do reino será pregado no mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.”

Essa afirmação nos traz a uma reflexão acerca do fim dos tempos, onde de fato começaria com o arrebatamento da Igreja e a sua segunda vinda, muito embora existem defesas teológicas de que a igreja passará pela Grande Tribulação que há de vir sobre a terra.

Hoje em dia, muitos países e povos ainda fazem restrições pesadas a entrada do genuíno evangelho de Jesus Cristo a suas gentes, situação que pode nos levar ao entendimento de que o tempo do fim não está no sem final, mas apenas no começo.

Até agora, foram muitos os fracassos de teorias esdrúxulas sobre o Fim do Mundo, mostrando mais uma vez ao homem de que o grande Dia do Senhor para com a humanidade, nenhum homem sabe, ainda que disponha dos melhores meios científicos para prever os acontecimentos. Isso por que só Deus é onisciente, onipresente e onipotente, qualificações que nenhum ser mortal pode ter.

Entre alguns acontecimentos típicos de fracassos, podemos citar o de Harold Camping, que virou piada na internet ao anunciar em sua rede de rádios que o evento se daria através de catástrofes. As catástrofes vieram e continuam acontecendo, porém o mundo não acabou.

No começo deste ano, o autointitulado profeta Ronald Weinland afirmou que Jesus voltaria à Terra no dia 27/05 deste ano, depois de ter previsto e errado no ano de 2008. Já estamos olhando 2013 e Jesus continua agindo como sempre esteve. Em espírito. Mas ainda não voltou.

Uma das profecias mais peculiares a respeito do tema foi feita por José Luis de Jesús Miranda, líder da seita Cresciendo em Gracia. Conhecido como “Jesus Cristo Homem”, Miranda afirmou que o calendário maia estava errado a respeito da data em que o planeta Terra conheceria seu fim.

Segundo seus cálculos, a data correta seria 30/06, quando ele seria transformado em imortal, e após um incêndio no Vaticano, seria levantado a líder mundial em meio ao caos.

O Vaticano não foi incendiado, e nenhuma evidência, além das declarações dos membros da seita, evidencia que “Jesus Cristo Homem” tenha se tornado imortal.

No Brasil, um líder de uma seita no interior de Piauí também resolveu arriscar suas chances nas previsões e afirmou que o mundo chegaria ao ponto final no dia 12/10. Com isso, Luis Pereira dos Santos induziu mais de 120 pessoas a se reunirem na sede da seita para aguardar o evento, mas como a profecia não se cumpriu, acabou preso sob acusação de estelionato.

O 21 de dezembro na verdade, diz respeito a data em que finalizava o calendário maia, que decididamente foi criado com defeito. Que tal alguém agora continuar o mesmo a partir do dia 22 e criar mais um calendário? Ficaria famoso!

Certo mesmo estou, que Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e será eternamente, por que passarão os céus e a terra, mas as suas palavras não hão de passar.

A ele toda a honra, toda a glória e todo o louvor, para todo o sempre, e aos fajutas, que sejam reprovados em sua fé de mentira, para que as mentiras sejam desbaratadas e o mundo inteiro saiba que Jesus cristo é o caminho a verdade e a vida, e ninguém vai ao pai senão por ele.

Gratidão é o meu nome

Escrito por .::Boas Novas PB::. em .Postado em Colunistas, Genival Jr.

Não sou teólogo, nem homem de seminário, mas antes de tudo um estudioso da Palavra de Deus e um homem de Fé, em minha formação cristã, oportunidade em que tive de desenvolver desde a infância.

De acordo com a Bíblia, palavra inspirada por Deus, na qual eu creio de modo absoluto, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se veem. Hebreus, capítulo 12.

Uso essa termologia, antes de mais nada, como pecador que sou, falho humanamente falando, mas que acredito num Deus que usa de misericórdia para com todos aqueles que acreditam que o sangue de Jesus Cristo vertido na Cruz do Calvário, nos purifica de todo o pecado.

Costumo fazer planos e executá-los conforme a vontade e a permissão de Deus, sem, no entanto, me frustrar quando as coisas não acontecem. Uma prova disso, apresento a Patos, foi quando tentei mas não consegui lograr êxito na disputa para vereador em 2008, quando obtive 301 votos e fiquei na 5ª suplência.

Perdi a eleição, é verdade, mas tenho espaço livre para visitar qualquer uma das residências em que visitei durante a campanha. E acredite: muitas das pessoas que me recebem não sabem onde me colocar em suas casas.

Por outro lado, vejo dezenas de colegas que visitaram o povo durante as eleições não poderem voltar mais as mesmas casas, por causa de compromissos mentirosos assumidos com a população. Vergonha para eles, e razão pela qual cuidei para não enveredar pelo mesmo caminho.

Continuei e continuarei o meu trabalho jornalístico, agora no Sistema Itatiunga de Comunicação, posto que ocupo pela graça de Deus desde 2009, no Jornalismo online através do site Boasnovaspb.com, no impresso, por meio da revista Galera Jovem, no Sindicato dos Comerciários de Patos, e no Instituto Patoense de Pesquisa e Estatística-INPPE, empresa em que abri em 2006 e consolidei sua credibilidade com os resultados alcançados até agora, batendo mais de 60 pesquisas de opinião pública em que realizei, algumas delas por diferenças simplesmente desprezíveis.

Agora, de cabeça erguida como tenho feito a cada dia que passa, ando perdendo a conta dos amigos e admiradores do meu trabalho, como fruto da benção de Deus na minha vida, embora que alguns incrédulos venham tentar me convencer de que tudo isso seja fruto da minha capacidade humana ou da coincidência do trabalho.

Costumo olhar para traz para ver quem eu era, quem sou e projetar até onde posso chegar e como poderei alcançar meus sonhos. Mas nunca deixei de dizer ao meu Deus que permitisse sonhar apenas os sonhos do seu coração para minha vida.

Quando comecei no rádio em 10 de março de 1995, em pouco tempo vieram os elogios e comecei a ficar conhecido como comentarista esportivo.

Quando ingressei no jornalismo, no ano de 2000, na Rádio Espinharas de Patos, veio para mim a entitulação de alguém que era sábio para comentar política e cobrar solução para as causas sociais.

Registrei o INPPE em 2006, sem nunca pedir para tal, mas hoje a cidade me chama de Estatístico e Matemático, embora me sinto em humildade apenas alguém familiarizado com os números, pois sou de fato Jornalista.

No entanto, quero dizer a todos que leem este documento, que nenhuma outra coisa me interessa tanto agora como ser reconhecido como o Missionário da Notícia, pois tudo isso só está acontecendo em minha vida por conta da benção infinita do Senhor Jesus, que é digno de toda honra, toda a glória e todo o louvor.

Como diz o salmista: Que darei eu ao SENHOR, por todos os benefícios que me tem feito? Tomarei o cálice da salvação, e invocarei o nome do SENHOR. Pagarei os meus votos ao SENHOR, agora, na presença de todo o seu povo. Salmos 116:12-14

O que Deus faz ou deixa de fazer pelo homem

Escrito por .::Boas Novas PB::. em .Postado em Genival Jr.

Muita gente tem confundido as coisas e atribuído a Deus missões ou providências incabíveis no plano superior e divino Dele, na relação que estabeleceu com o homem.

Tenho visto, com frequência, pessoas amargarem por pura acomodação, falta de fé ou mesmo atitude pessoal, do ponto de vista humano e social, insucessos que levam o ser humano a questionar se Deus está ou não ao seu lado, ou mesmo se Deus tem um olhar mais especial para com outra pessoa do que para com ele ou ela, no que tange a quem está vivenciando tal experiência.

Hoje em dia, num mundo cheio de pensamentos capitalistas, é comum as pessoas quererem mudar radicalmente a sua forma de vida social, sem, no entanto, preencher os requisitos que possam levá-las a mudar de vida. Isso acontece, principalmente, quando o assunto é a condição social do ser humano.

Na minha modesta experiência, de 38 anos de vida, tenho ouvido pessoas mais experientes dizerem “Deus não faz aquilo que o homem pode fazer”, e dando uma olhada para várias passagens bíblicas, pude comprovar muitas situações em que essa afirmação foi verdadeira na sua plenitude. Senão, vejamos:

1-Quando Abraão estava para imolar o cordeiro, ele respondeu a Isaque “Deus proverá para si o cordeiro”. Naquele momento, não havia um cordeiro próximo a Abraão, e por isso, Deus providenciou o cordeiro. Se ele estivesse próximo a um curral de ovelhas, Deus certamente o teria mandado pegar um cordeiro e sacrificar, como era o modo expiatório da época.

2-Quando Moisés estava entre o exército de Faraó e o Mar Vermelho, Deus perguntou a Moisés: Por que clamas a mim? Diga ao povo que marche. Marchar naquele momento cabia ao povo. Abrir o mar, só Deus podia fazer, como assim o fez.

3-Quando Jesus estava diante do sepulcro de Lázaro, ele disse aos que estavam ao seu lado. “Tirai a pedra”. Isso porque remover a pedra o homem podia fazer, mas ressuscitar Lázaro, só Jesus podia, e essa missão ele não passou ao homem.

4- Nos nossos dias, por exemplo, vivenciamos momentos de seca. A chuva vem de Deus e o homem não consegue determinar quando ela virá. Mas administrar a água que cai da chuva cabe ao homem, pois a ciência e as formas de lidar com esse fenômeno natural, tão comum para nossa região, já foram desenvolvidas, embora sejam mal administradas no Brasil, por nossos governantes.

Hoje em dia, existe gente querendo empregos para obter supersalários e usando a frase “Deus proverá”, esperando deitado em casa, sem dar um passo sequer para mudar a sua sorte na vida.

Afirmo, no entanto, que pessoas analfabetas ou semianalfabetas, por exemplo, despreparadas no competitivo mercado atual, dificilmente conseguirão empregos de alto escalão, ainda que usem a fé num Deus vivo e verdadeiro.

Buscar capacitação profissional, bom relacionamento social, escolher um bom campo empreendedor, escolher bem um serviço para prestar profissionalmente e agir, sair de dentro das quatro paredes, não serão funções de Deus, mas missões minhas, suas e nossa. Não adianta, portanto, reivindicar de Deus o emprego ou até mesmo o salário que você quer ganhar, se não tiver capacidade para isso.

Precisamos, sobretudo, usar uma fé racional, entendendo o que cabe a Deus e o que cabe ao homem, para que não estejamos com uma fé imatura e inconsequente, que servirá mais tarde para nossa frustração humana e espiritual.

Esperar em Deus é um atributo essencial da fé, que “é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se veem”. Mas temos que usá-la de modo a garantir alimento para nossas almas, ainda que tenhamos que esperar algum tempo, até que os nossos sonhos aconteçam.

O representante do povo de Deus

Escrito por .::Boas Novas PB::. em .Postado em Genival Jr.

O dia 7 de outubro vem aí, data em que elegeremos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores dos municípios brasileiros.

Muita gente nesse período costuma pensar que o voto precisa ser dado por causa da religião, grupo social ou mesmo a denominação ou setor da sociedade em que o candidato representa.

É comum a denominação de “representante do bairro”, ou representante dos evangélicos, dos católicos, dos desportistas, e assim por diante.

Não existe regra que determine que evangélico só vote em evangélico, ou católico só em católico, espírita só em espírita, sindicalista só em sindicalista, e assim por diante. Isso é pura bobagem.

Escrevo dessa forma, como alguém que já militou como candidato em 2008, e não recebi dos evangélicos, segmento em que milito desde a minha infância, sequer 50 votos, tendo recebido minha ampla votação, a ponto de atingir meus 301 votos, em mais de 80% formado por pessoas não evangélicas. Nem por isso, desisti de lutar pelos projetos que entendo serem viáveis para o Reino de Deus, pois antes de ser um agente público, sou cristão.

Sou profissional do campo jornalístico, e entendo que a escolha de um representante, precisa estar pautada não só em sua titulação, pois vale lembrar a igreja que existem lobos vestidos de cordeiros em todos os lugares.

No plano da Salvação, cabe a Jesus separar o joio do trigo, as ovelhas dos bodes. Mas no plano político, lembre-mo-nos de que Deus não é eleitor brasileiro, não vota, nem precisa de voto, e por isso, não pode ter o seu nome usado muitas vezes em vão a todo o momento, para justificar certas ações que nós serem humanos, costumamos querer que aconteçam.

Por isso, cabe a nós cristãos, povo de Deus, observar se os candidatos que se apresentam a nossa frente, tem a capacidade de nos representar, de ter propostas compatíveis com a possibilidade de transformá-las em ações práticas, e não em mentiras cabeludas e descabidas para enganar as pessoas de bom coração.

Costuma-se ouvir rua afora, que de boa intenção o inferno está cheio. Mas, se o assunto for política, a terra também está cheia. Sendo porém que pelo menos 80% das propostas dos atuais candidatos se resumem a situações fantasiosas, pautadas em compromissos de pessoas que jamais terão a capacidade de cumprir, caso sejam eleitos em outubro.

Por isso, meus irmãos e amigos. Temos a arma na mão que é o nosso voto, e devemos ficar com o olho vivo, para que não sejamos os bobos da corte, e venhamos a estender mais uma vez o tapete vermelho para quem por ventura, usar o nome de Deus por meio da pilantragem comum aos seres humanos de coração comprometido com a mentira.

O representante ideal do povo de Deus é portanto, aquele que não só for temente ao Senhor como autor; criador e salvador da humanidade, mas tiver compromisso com os princípios morais e éticos que norteiam a sociedade, a fim de evitar que esta termine de apodrecer.

Deus liberta através do louvor!

Escrito por .::Boas Novas PB::. em .Postado em Genival Jr.

Mesmo não sendo a maioria na preferência religiosa no sertão, a música evangélica já começa a ganhar espaço em relação a famílias que ainda não professam a mesma fé.

Ultimamente, tem sido bastante comum em festinhas de crianças, principalmente na primeira infância, ouvir músicas de Aline Barros, Diante do Trono e Mara Maravilha, por exemplo, além de outros nomes do gênero, como música ambiente para animar toda a criançada e demais convidados.

Isto nada mais é do que um reflexo de que o preconceito religioso vem aos poucos sendo quebrado, e a Palavra de Deus tem sido ouvida através do louvor com maior intensidade.

Sabemos que Deus habita no meio dos louvores, e por isso, rogamos ao Senhor que transforme o coração destas famílias que sem perceberem, estão dando espaço para a salvação bater a porta de suas casas.

Confessar Jesus como único e suficiente salvador num mundo horrendo como o de hoje, nada mais é do que encarar o mal de frente, e proclamar que nenhuma cadeia, ou dardo inflamado do mal poderá segurar a convicção dos que acreditam em Deus e não em deuses.

Por certo, aquele que começou boa obra, é fiel para completa-la, e por isso, creio que Patos verá uma resposta positiva nos próximos anos, com uma geração de crianças envolvidas numa mensagem de fé, respeito a família, ao próximo e sobretudo a Deus, valor que gera todos os demais já citados, e que representa a verdadeira conquista de valores das vidas, social e espiritual.